Fraudes

Fraude à ajuda para desabrigados de PE veta debloqueio de bens de empresa

Pedrosa Transportes e Locações teria integrado fraude de R$ 2 mi para vítimas das chuvas de 2010

Enchentes, Fraude à ajuda para desabrigados de PE veta debloqueio de bens de empresa
Enchente de 2010 em Perbambuco/ Foto: José Cruz Abr

O Ministério Público Federal (MPF) na 5ª Região emitiu parecer para que não seja realizada a restituição de bens apreendidos da empresa Pedrosa Transportes e Locações, acusada de envolvimento em fraudes com recursos federais, oriundos do Ministério da Integração Nacional. As apurações estimam dano de R$ 2 milhões com o esquema alvo da Operação Torrentes, deflagrada em 2017 com a participação conjunta do MPF, da Polícia Federal, Controladoria-Geral da União e Receita Federal. O parecer de 23 de agosto foi divulgado hoje pelo MPF.

As investigações apontaram que a Pedrosa Transportes e Locações fazia parte de um grupo de empresas beneficiadas por fraudes e dispensa indevida de licitação na execução de ações de auxílio a mais de 80 mil pessoas desabrigadas pelas chuvas ocorridas em Pernambuco, em 2010. A Justiça Federal em Pernambuco determinou a apreensão de veículos e imóveis e o bloqueio da conta da empresa, que recorreu da sentença.

 

Segundo consta no processo, a Pedrosa Transportes e Locações participou de licitação, na modalidade carta convite, com outras duas empresas, a Arena MM Comercial e a FJW da Cunha Filho Alimentos, para o fornecimento de água ao Governo do Estado. Após mandado de busca e apreensão, foi encontrado na sede desta última empresa um notebook com arquivo editável referente à proposta da Pedrosa Transporte e Locações.

Processo nº 0815936-55.2018.4.05.8300.
 
 
Com informações da Assessoria de Comunicação Social do MPF da 5. Região.

 

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com