Os ministros não podem atrapalhar o presidente

Por Marcelo Velez

Publicado em 17 de maio de 2019

Governo Federal

É nítido que os auxiliares de Jair Bolsonaro(PSL) estão afinados com sua linha de pensamento e empenhados em ajudar o presidente em quaisquer ações administrativas. Entretanto, parece faltar a alguns integrantes do governo federal o senso de que devem repercutir em Jair tanto os bons quanto os maus frutos de seus posicionamentos. Em episódio recente, o ministro da educação, Abraham Weintraub, atacou deputados insinuando que eles nunca trabalharam, após receber críticas de parlamentares a respeito do bloqueio de verbas destinadas a universidades públicas federais e à educação básica. A repercussão foi muito negativa sobretudo no Congresso Nacional e os deputados começaram a cobrar controle dos subordinados por parte do presidente. Em menos de 6 meses de governo, outros auxiliares somam declarações polêmicas, como o Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles (NOVO). Em passagem pelo Programa Roda Viva, o ministro ponderou negativamente sobre a contribuição de Chico Mendes para o setor e teve a afirmação recebida com preocupação por governistas menos extremistas, como alguns deputados da região norte. Outra recorrente nas páginas de noticiários é a Ministra da Cidadania, Damares Alves. Apesar de não ter causado desagrados na base do presidente, Damares se tornou famosa com declarações simples que foram amplamente difundidas e atacadas pela oposição, como o mote “Menino usa azul e menina usa rosa”. Mesmo tendo sido portadores das melhores intenções, os ministros citados contribuíram para a produção de munição contra o governo. Durante o governo Dilma (PT), o então Ministro da Educação, Cid Gomes(PDT), foi ao Congresso e acabou por chamar vários deputados de achacadores, incluindo o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (MDB). À época, Dilma foi acusada por parlamentares de disparate contra a Casa e mal vista pela opinião pública devido ao bate-cabeça na própria base. Se não quiser repetir erros do passado com figurinhas diferentes, Bolsonaro precisará reavaliar que quadros devem falar e pensar por ele. Como dizia Maquiavel, séculos atrás: “Um príncipe é sempre julgado pelos seus ministros”.

Repeteco – O ex-ministro petista José Dirceu pode ser novamente preso após ter recurso judicial negado. Dirceu foi figura chave durante o governo Lula (PT), preso e condenado no escândalo do mensalão. Atualmente, seu filho, Zeca Dirceu, é deputado federal pelo PT.

Repeteco 2 – o ex-presidente Michel Temer (MDB) saiu da prisão pela segunda vez. Segundo ele, era esperada a decisão “com tranquilidade e serenidade”. Impressiona a articulação que o emedebista tem no poder Judiciário. Apesar de diversos inquéritos policiais acontecerem, nenhum deles ameaça, de fato, a liberdade de Temer.

Certeza – Durante passagem por Nova York, o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM), foi categórico ao dizer que “A (Reforma da) Previdência sai com o governo ajudando ou atrapalhando.

Publicado Por:

© 2019 Portal de Prefeitura - Todos os Direitos Reservados.