Febre Amarela: o que você precisa saber.

  • Publicado em 22 de janeiro de 2018

  • O que você precisa saber

    Atualmente, estamos enfrentando um cenário epidemiológico da febre amarela em nosso país. Determinadas regiões tem tido casos humanos confirmados, incluindo óbitos e consequentemente ações de intensificação de vacinação e vigilância em curso. E, justamente por se tratar de localidades e estados específicos existem critérios e orientações distintas no que diz respeito à vacinação, por exemplo. Diante disso, o que nós precisamos saber?

    Quem transmite?
    A febre amarela é uma doença febril aguda causada por vírus, sua forma silvestre é transmitida pelos mosquitos Haemagogus spp e Sabethes spp. A Febre amarela urbana apresenta como principal vetor um velho conhecido nosso, o Aedes aegypti, o mesmo que transmite a dengue, zika e chikungunya. Porém, a febre amarela urbana não existe no Brasil desde 1942, especialistas afirmam que não estamos no ciclo urbano da doença e que os casos registrados desde o ano passado são de febre amarela silvestre.

    Sintomas:
    Os sintomas da febre amarela, em geral, são parecidos com os sintomas da dengue, febre de início súbito, dores no corpo, calafrios, dor de cabeça, dores nas costas, náuseas, vômitos, fadiga, fraqueza, podendo evoluir para quadros de icterícia (olhos e pele com tons mais amarelados), insuficiência de múltiplos órgãos e hemorragia. A febre amarela na sua forma mais grave pode levar à morte.

    Uma diferença é que para febre amarela nós temos vacina que imuniza o indivíduo pro resto da vida. Para vacinação, embora muitos queiram tomá-la estando em áreas com casos de febre amarela ou não, existem critérios que devem ser seguidos. O Ministério da Saúde estabeleceu algumas orientações para indicação da vacina:

    Vacina febre amarela1) Esclarecer que não há motivo para a busca da vacinação se você mora em áreas que não há sinais da circulação do vírus da febre amarela. Essas regiões são consideradas como Área Sem Recomendação de Vacina.

    2) Nessas regiões a vacinação será indicada quando for comprovada viagem para áreas com Área Com Recomendação de Vacina. Nesse caso, a orientação é procurar a unidade de saúde de seu município para ser vacinado com uma antecedência mínima de 10 dias da data da viagem para que haja tempo suficiente para o organismo produzir imunidade e proteção.

    3) Tratando-se dos municípios de Áreas com Recomendação de Vacinas, a imunização contra a Febre Amarela, está recomendada para todos os indivíduos residentes ou em trânsito por esses municípios (levar em consideração as contraindicações para a vacina).

    A febre amarela é transmitida apenas pela picada do mosquito infectado e não é transmitida de pessoa para pessoa. Sobre os macacos, eles podem alojar o vírus e acabar transmitindo para os mosquitos, mas não transmitem o vírus diretamente para o ser humano. Os macacos também são vítimas do vírus da febre amarela, aqueles que forem encontrados mortos devem ser notificados, porque esta informação serve como indicador da possível circulação do vírus da febre amarela na região.

    Podem ser considerados casos suspeitos indivíduos que apresentem os sintomas citados acima, não sejam vacinados e residam ou tenha passagem por áreas de risco, portanto devemos estar atentos.
    A vacina é a melhor forma de prevenção e não existe tratamento específico, apenas cuidados dos sintomas e intercorrências.

    Fontes:   sobre a febre amarela.
    Dengue e Febre Amarela.
    Guia para profissionais de Saúde, FEBRE AMARELA, Brasília-DF 2017.

    Comentários

    Publicado Por:

    %d blogueiros gostam disto: