‘Não existe mágica, buscamos fazer as coisas para atender da melhor forma possível e começar a avançar’, diz Marcelo Gouveia

  • Publicado em 20 de outubro de 2017

  • Os desafios encontrados por Marcelo Gouveia (PSD) ao assumir a gestão da Prefeitura de Paudalho em janeiro deste ano não destoaram dos objetivos traçados pelo político para administrar a cidade. “Não existe mágica, buscamos fazer as coisas para atender da melhor forma possível e começar a avançar”, soluciona o gestor.

    Foto: Beto Dantas/Portal de Prefeitura

    “Assumimos o município, tínhamos atraso na folha de pagamento, 6 pendencias no Serviço Auxiliar de Informações para Transferências Voluntárias (CAUC), a prefeitura estava impossibilitada de conveniar com a União, com o Estado, devido a vários convênios que haviam sido realizados nas gestões anteriores e os escopos não haviam sido cumpridos, não foi prestado conta. Paudalho tem uma dívida previdenciária de mais de R$100 milhões, em nosso primeiro mês de gestão a arrecadação foi praticamente retida pela receita federal. Começamos sem recursos, com dificuldades, com muita coisa a fazer – lixo no meio da rua, postos de saúde fechados, hospital geral fechado, infelizmente com os ônibus escolares quebrados, com muitos problemas, que fomos corrigindo aos poucos para conseguir colocar a máquina para funcionar”, explica Gouveia.

    Em sua gestão, Marcelo Gouveia priorizou contratar minimamente, reduzindo despesas e controlar gastos. A cidade opera com um número enxuto de pastas – 6 secretarias, priorizando o investimento consciente nas áreas de maior necessidade. Os esforços do prefeito permitem avanços que a cidade pleiteava. “Apesar da crise estamos conseguindo realizar obras com recursos próprios. Há tempos a Escola Municipal de Guadalajara é um sonho da população – o equipamento estava abandonado havia 4 anos, assim como as obras de uma creche, retomamos os trabalhos. Em 9 meses de gestão reformamos 10 das 26 escolas municipais, sendo duas dessas com ampliação”, ressalta.

    Os altos salários oferecidos aos professores em Paudalho são um grande atrativo – o município paga quase 80% acima do piso nacional da categoria, mas compromete boa parte dos recursos que entram na educação. O assunto abriu janela para a gestão construir um diálogo junto a classe e resolver as questões, visando aumentar os investimentos e facilitar os custeios das escolas.

     

    SAÚDE PARA TODOS

    Marcelo Gouveia reordena a casa restabelecendo o funcionamento das políticas públicas básicas. “A saúde era o principal problema do nosso município, de acordo com as pesquisas que nós tínhamos, e conseguimos avançar muito, reabrimos as Unidades Básicas de Saúde, onde 10 já foram reformadas e com objetivo de termos as outras 8 no mesmo padrão até o início de 2018. Abrimos um laboratório de apoio ao diagnóstico no Hospital Geral, reaberto por nossa gestão e que hoje passa por reforma e ampliação, onde realizamos 69 tipos de exames e registramos, nos primeiros quarenta dias de funcionamento, cerca de 20 mil exames” destaca.

    Paudalho conta, hoje, com uma saúde em reestruturação, onde são ofertados serviços médicos que antes não existiam. “Trouxemos para a cidade ultrassonografia, e estamos conquistando outros serviços de diagnóstico por imagem, com tomografia e raio x. Isso, para uma cidade do interior é realmente uma conquista”, comemora o prefeito, que também conseguiu colocar especialidade odontológica em 15 das 18 UBS, tendo como objetivo a instalação dos serviços em toda rede de assistência básica.

     

    DIÁLOGO COM A UNIÃO

    “Estamos muito bem assistidos, Pernambuco está bem assistido em Brasília. Paudalho tem o deputado federal Ricardo Teobaldo (Podemos) viabilizando recursos e ajudando a cidade. Os ministros pernambucanos têm aberto muitas portas pra gente e isso tem sido importante”, comenta.

    O diálogo e a articulação do gestor permitem que o município pleiteie grandes conquista e a vinda de projetos importantes, como o “Minha Casa, Minha Vida”, do Governo Federal.

    “Conseguimos, junto ao ministro Bruno Araújo, trazer o ‘Minha Casa, Minha Vida’ pra cá. Entre dezembro e janeiro estaremos iniciando as obras, onde hoje, praticamente, só dependemos do licenciamento da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH)”. Com a chegada do projeto, Paudalho beneficiará 288 famílias – mais de 1.000 pessoas, irá gerar entre 300 e 400 empregos durante um ano e meio de obras, aproximadamente.

    Engenheiro Civil por formação, Gouveia vê na realização de obras estruturantes e na atuação junto a população uma troca gratificante e compensatória, essencial para o desenvolvimento da cidade. “Paudalho ainda não está um canteiro de obras, mas breve, estaremos intensificando esse trabalho para entregar muita coisa boa pro nosso povo. A história está começando agora”, indica o prefeito.

    Por: Raissa Cardeal

    Comentários

    Publicado Por:

    %d blogueiros gostam disto: